15 inspirações de como usar grafite na decoração de casas e apês

15 inspirações de como usar grafite na decoração de casas e apês

Investir em arte urbana é um jeito diferente de decorar a casa. Além de ser exclusiva – os artistas geralmente fazem projetos personalizados e únicos –, o ambiente ganha novo fôlego e se destaca no lar. A dica principal é ousar sem medo. Inspire-se em nossas sugestões que mesclam os grafites com diferentes estilos de decoração. Para saber mais sobre cada projeto, clique na foto ou no título correspondente.

1. Oceano branco
Para seu apartamento no Rio de Janeiro, o arquiteto David Bastos apostou no branco para o acabamento das paredes, das peças de design assinado e da mobília, a fim de enfatizar a luz natural. Destaca-se na composição os grafites vibrantes de Binho Ribeiro, que teve total liberdade para criar, chegando ao polvo e ao peixe gigantes, plácidos e multicores.

Sala de jantar | A partir do escritório, vê-se o ambiente com mesa Dart e cadeiras Strip, ambas da Poliform. Pendentes E27, da Micasa. A foto, ao fundo, é de Tuca Reinés, e o grafite, criado por Binho Ribeiro (Foto: Tuca Reinés e Denilson Machado/ MCA Estúdio)
2. Quarto de criança
A casa-ateliê onde vive a pintora Consuelo Vidal com sua família em Tigre, na Argentina, é quase um cenário. Simples e também sofisticada, é colorida e maximalista. No quarto do filho Isidoro, a cama utilizada pela moradora na infância foi reaproveitada, assim como várias portas de demolição que agora formam o armário. O grafite criado por Tester Marianol compõe o ambiente lúdico.
Life By Lufe. Casa-ateliê da pintora Consuelo Vidal (Foto: Lufe Gomes / Editora Globo)

3. Escritório urbano
Prática, essa estante foi feita com uma porta cortada ao meio, apoiada sobre blocos intertravados de concreto, usados para fazer calçadas. A solução foi criada pelas arquitetas Nicole Sztohfisz e Debora Racy para o escritório da Arquitetura Paralela. Para completar o clima urbano, a parede recebeu grafite de Os Diplomatas.

Grafite de Os Diplomatas para escritório da Arquitetura Paralela  (Foto: Lufe Gomes/Casa e Jardim)
4. Loft nova-iorquino
O estilo industrial foi reforçado pelos acabamentos em tons de cinza e preto neste loft de 100 m² no Morumbi. Para a sala com pé-direito duplo, no lugar de um quadro, a arquiteta Bruna Riscali optou pelo grafite, feito pelo designer Bruno Dias, na cor cinza, que tem aspecto masculino e não carrega o ambiente.
O morador Rodnei na janela. O grafite, de Bruno Dias, decora a parede atrás do sofá, da Gallery by Formato. Almofadas da Conceito Firma Casa. Da mesma loja são as malas e a luminária de piso. Manta Ralph Lauren e Tapete da Clatt (Foto: Evelyn Müller / Editora Globo)

5. Curvas do Rio de Janeiro
Assim que entrou no apartamento de 95 m² com três dormitórios, em São Paulo, o designer de interiores Gabriel Valdivieso sentiu a necessidade de torná-lo mais iluminado. Nas paredes brancas da sala de estar, que ajudam na luminosidade, a leveza do Rio de Janeiro aparece nas curvas do morro Dois Irmãos, reproduzido no grafite da artista plástica Evelyn Negahamburguer.

sofá-preto (Foto: Evelyn Müller/Editora Globo)
6. Hall de impacto
O grafite em tapume de obra no hall do elevador revela na chegada as surpresas criativas que estão por vir. Afinal, aqui mora o arquiteto Lula Gouveia, sócio do SuperLimão Studio, com sua mulher, a fotógrafa Maíra Acayaba, e a filha Lina. Ao abrir a porta pivotante, a farta luz natural que banha o hall de entrada dá a sensação de que o apartamento de 156 m² é maior.
O painel de grafite, aproveitado de tapumes da obra de um prédio em São Paulo, contrasta com o branco das paredes e do piso com acabamento de epóxi. O teto é rebaixado com forro de policarbonato alveolar e luz de LED instalada no perímetro (Foto: Maíra Acayaba / Editora Globo)

7. Galeria particular
Billy Castilho, diretor de arte, é apaixonado por colecionar obras de artistas brasileiros. Basta entrar em sua sala, que mais parece uma galeria, para ter certeza disso. O grande destaque é o grafite assinado por Daniel Medeiros, o Boleta. Multicolorido, foi pintado ao lado de uma estante que vai do chão ao teto.

Grafite assinado por Daniel Medeiros, o Boleta (Foto: Divulgação)

8. Geladeira divertida
Tons sóbrios e uma decoração mais neutra acompanharam por 10 anos a vida da moradora deste apê de 58 m². Quando passou a desejar um astral mais vibrante, procurou a arquiteta Juliana Pippi. Na cozinha, a geladeira ganhou grafite plotado de Paulo Gouvêa, inspirado em uma foto da moradora.

Com grafite de Paulo Gouvêa plotado e adesivado na geladeira, a arte foi baseada em fotos da moradora. Na parede, revestimento Cobogó Índigo, da Portobello (Foto: Marco Antonio/Editora Globo)

9. Na escada
Como o elevador não chegava ao último andar do co-working Maria Paula, que ocupa três andares do edifício dos anos 1940 de mesmo nome, as arquitetas do escritório IBD Arquitetura e Interiores começaram a pensar o projeto desde a escada. No alto dos degraus, um grafite feito pelo artista Cadu Mendonça dá às boas vindas aos visitantes.

co-working-IBD (Foto: Sidney Doll/Divulgação)

10. Porta de entrada
Acostumada a receber, a moradora deste apartamento de 140 m² nos Jardins, em São Paulo, procurou a designer de interiores Sara Oleiro para uma reforma que trouxesse um ar industrial ao lar. A cereja do bolo foi o grafite assinado pelo artista xguix com elementos vermelhos – cor preferida da moradora e que traz boas energias ao lar desde a entrada.

projeto-sala-oleiro-hall-com-grafite (Foto: Edu Castello/Editora Globo)
11. Monumento descolado
O edifício monumental de um bar holandês ganhou um visual totalmente moderno. O Studio Giftig cobriu os 600 metros quadrados do histórico Café Thomas com tinta rosa e diversas imagens feitas com grafite. Desenhos realistas de animais, plantas, esculturas e até membros do corpo humano colorem as paredes e o teto do local, criando uma atmosfera lúdica.
O café ganhou uma aparência única após a obra do Studio Giftig (Foto: Helden Van de Buurt/ Reprodução)

12. Restaurante em museu
No recém-inaugurado Pipo, restaurante de Felipe Bronze localizado no Museu de Imagem e do Som (MIS), em São Paulo, a decoração tem base clara e neutra, um mix de texturas e grafite do artista TOZ. A arte chama atenção por suas cores vivas, tornando-se uma extensão do museu.

Pipo (Foto: Marco Antonio/Divulgação)

13. Extensão de personalidade
Fã de grafites a ponto de procurá-los pela cidade de São Paulo, o publicitário Leonardo Nicolia fez questão de trazê-los para a sala de seu apartamento. Valorizado pela iluminação de spots em trilhos, o trabalho do grafiteiro Jey percorre não apenas a parede entre sala e cozinha como avança sobre a porta pivotante que dá acesso ao hall do elevador. Auxiliado pelas arquitetas Calu Altheman e Carolina Csapo, o morador se orgulha da ousadia.

Grafite de Jey percorre não apenas a parede entre sala e cozinha, como avança sobre a porta pivotante que dá acesso ao hall do elevador  (Foto: Edu Castello/Casa e Jardim)

14. Urbano e relax
O estilo neoclássico do condomínio era formal demais para os moradores deste apartamento: surfistas de fim de semana, fãs de música alta, sol e praia. Pintado de verde, o hall do elevador surpreende com grafites do artista Bruno Dias e versos da canção Tempos Modernos, clássico de Lulu Santos. A suíte da filha também ganhou arte de Bruno Dias como cabeceira. Reforma comandada pela arquiteta Bruna Riscali.

A parede do hall do elevador, pintada na cor Folha de Oliveira, da Coral, tem caricaturas da família grafitadas pelo artista Bruno Dias (Foto: Victor Affaro)
decoração-de-quarto (Foto: Victor Affaro/Editora Globo)

15. Hotel descolado
Com paredes coloridas e muitas plantas, o Selina Palermo Soho possui ambientes comunitários para contemplar a natureza e curtir a capital argentina. Nas paredes, grafites descolados ajudam a compor a atmosfera millennial super em alta.

Selina Palermo Soho (Foto: Divulgação)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1
×
Olá,
Como posso te ajudar?